Sonhos quentes de verão

Quando você invadiu meu quarto pela janela
Não acreditei e fingi que ainda dormia, só para saber
O que poderia passar na cabeça dela
Para como um sol em meu quarto de repente nascer

E no silêncio do desejo que queima a pele
Deitou-se ao meu lado e com seus lábios me entorpeceu
Continuei no esconderijo delicado do disfarce
Só para ver se entregaria o que me prometeu

E quando seus lábios repousaram como pluma
Senti o coração bater na velocidade do segundo
E naquele momento, quis gritar para o mundo
Mas preferi manter em segredo para velejar nesta escuna

E deixar a claridade do amor brotar na escuridão
Era tudo que queria naquele momento, deixar acontecer
E fazer de conta que tudo foi um sonho de verão

Onde seu olhar clareou minha existência e seu corpo
Me levou a loucura de uma nova e plena estação
E me deixou adormecer, depois de um sonho quente de verão

Compartilhe

Deixe um comentário