Home > Biografias > Biografia de Galileu Galilei – Vida e Obra

Biografia de Galileu Galilei – Vida e Obra

Confira a biografia completa de Galileu Galilei, tudo sobre sua vida, a lista completa de suas principais obras, descobertas e frases. Galileu Galilei foi uma das figuras mais importantes da revolução técnico-científica; não só no campo da astronomia, onde se tornou notório, mas também na física e na matemática aplicadas ao nosso planeta. Descobriu a lei dos corpos e o princípio da inércia – que mais tarde seria usado na formulação da mecânica newtoniana –, inventou a balança hidrostática, melhorou consideravelmente o telescópio e, principalmente, defendeu o método empírico e o uso da matemática na construção de teorias, quebrando o método abstrato de Aristóteles. À Galileu Galilei foi dado o título de “pai da ciência moderna“.

O pai da ciência moderna

Galileu Galilei nasceu no dia 15 de fevereiro de 1564 em Pisa, Itália,  mais velhos dos 7 filhos de Vincenzio Galilei e Giulia Ammannatidi Pescia. Sua família, apesar de não ter a mesma condição financeira que seus antepassados, pertencia à alta sociedade.

Era um ótimo aluno na escola de Vallombrosa e pretendia entrar no monastério, mas não teve a aprovação de seu pai, que queria que Galileu Galilei cursasse medicina e recuperasse o status de sua família; assim, em 1581, ingressou na Universidade de Pisa, mas abandonou os estudos dois anos depois e conheceu Ostílio Ricci, professor de matemática na Escola de Belas Artes e discípulo de Niccolo Tartaglia; lá, Galileu descobriu suas inclinações, tornando-se discípulo de Ostílio, que o ofereceu as obras de Arquimedes. Porém, seu pai não aprovou que seu filho estudasse matemática, e Galileu abandonou a Universidade em 1585, passando a dar aulas particulares de Geometria, Astronomia e Engenharia Militar para pagar suas dívidas.

Nessa época, inventou a balança hidrostática e começou a pensar no isocronismo do pêndulo, aprendido nas aulas de medicina, como mecanismo para fazer relógios mais precisos; anos mais tarde trabalharia no dispositivo de escapo, que daria origem ao relógio de pêndulo. Em 1588, foi nomeado para a cátedra de matemática na Universidade de Pisa; foi nesse período, na Torre de Pisa que realizou seus célebres experimentos de queda de corpos em planos inclinados, descritos no tratado “De Motu“, de 1590 – tais experimentos resultariam mais tarde como a primeira lei de Newton.

Biografia de Galileu Galilei
Biografia de Galileu Galilei

Galileu Galilei era tido como um homem otimista, sociável e audaz, dotado de grande criatividade e imaginação. Despertava empatia e ódio em seus professores (e depois colegas) na Universidade de Pisa com sua postura rebelde, inconformada e contestadora. Em 1592, foi nomeado para a cátedra de matemática na Universidade de Pádua, considerada na época como a melhor da Europa, onde passou os próximos 18 anos dando aulas de geometria, mecânica e astronomia. Foi em Pádua que Galileu descobriu as leis do movimento parabólico e conquistou reputação internacional, dando aulas para até mil alunos; o cientista descreveu esse período como “o mais feliz de sua vida“.

Ao contrário do pensamento comum, Galileu não inventou o telescópio, apesar do termo ter sido inventado na Itália em 1611. A patente da invenção foi pedida em 1608, por Hans Lippershey, fabricante de óculos de Middleburg, nos Países Baixos; entretanto, Galileu foi o primeiro a fazer uso científico do telescópio, ao direcioná-lo para o céu e fazer observações astronômicas com ele. Descobriu os satélites de Saturno, as estrelas da Via Láctea e as montanhas e crateras da Lua – publicadas em março de 1610 no livro SidereusNuncius (“O Mensageiro das Estrelas”).

O livro foi um enorme sucesso, acompanhado de muitas polêmicas. Galileu Galilei foi nomeado matemático e filósofo grã-ducal, o que o isentava da obrigação de dar aulas, e voltou para Florença. Os críticos acusavam-lhe de ter se apossado de uma invenção que não era sua – e que talvez suas descobertas também não fossem; outros ainda alegavam que o telescópio deformava as imagens, e que aquilo não passava de uma ilusão de ótica.

Em 29 de março de 1611, apresentou suas descobertas ao Colégio Romano dos jesuítas (os matemáticos do Colégio eram considerados as maiores autoridades do assunto), se encontrando com o futuro Papa Urbano VIII, de quem ficaria amigo, e com o cardeal Roberto Bellarmino, que reconheceu suas descobertas. Entretanto, cientes do que as descobertas do cientista trariam para os princípios da Igreja, no dia 16 de maio, a Congregação do Santo Ofício começou a questionar as relações entre Galileu e o filósofo Cesare Cremonini, suspeito de heresia pela inquisição de Pádua.

Em 1612, Galileu escreveu o “Discurso sobre as coisas que estão sobre a água, ou que nela se movem”, demonstrando que, ao contrário da teoria de Arquimedes, os corpos flutuavam ou afundavam na água segundo seu peso – e não segundo sua forma. Nele também comentou sobre as manchas solares – já observadas em Pádua dois anos antes –, sem descrevê-las profundamente, deixando para o ano seguinte, quando escreveu “História e demonstração sobre as manchas solares e seus acidentes”. Em 1614, completou seus estudos para determinar o peso do ar – mínimo, mas diferente de zero, ao contrário do que pensavam os estudiosos da época.

Entre 1613 e 1615, escreveu cartas a Benedetto Castelli, Pietro Dini e Cristina di Lorena, onde descrevia suas ideias heliocêntricas, gerando escândalo entre os conservadores e dividindo todo o meio acadêmico entre as principais Universidades italianas. A resposta da Inquisição (ou o Tribunal do Santo Ofício) veio em 1616, com a declaração de que a a teoria heliocêntrica, onde o Sol seria o centro imóvel do Universo, era herética e pensar que a Terra se move era teologicamente errada. O livro de Copérnico – o primeiro a teorizar sobre o sistema heliocêntrico – foi incluído no Index (o índice de livros proibidos pela Igreja) por quatro anos, junto com todos os outros que faziam referência ao assunto. Foi proibido falar do heliocentrismo como realidade física, podendo referir-se à ela somente como hipótese matemática.

Os livros de Galileu não foram para o Index, mas o cientista foi chamado a Roma para expor seus novos argumentos. Assim, defendeu suas teorias em frente ao Tribunal do Santo Ofício, dirigido por seu amigo Bellarmino, que, uma vez que não havia provas concretas de que a Terra se movia, apenas advertiu Galileu para que abandonasse a ideia. Galileu persistiu, e foi então proibido de divulgá-las ou ensiná-las.

Apesar das proibições, se sentiu encorajado pela entrada, em 1623, do novo Papa Urbano VIII, seu amigo e uma autoridade muito mais interessada nas ciências e no progresso do que seu antecessor; publicou, no mesmo ano, Il Saggiatore, onde combatia a física aristotélica e defendia a matemática como fundamento das ciências exatas. O Papa recebeu Galileu no Vaticano e o ofereceu honrarias, dinheiro, recomendações, mas recusou o pedido de revogar o decreto do heliocentrismo de 1616. Encorajou-o a continuar seus estudos, mas sempre como hipótese matemática útil, trazendo um avanço científico que aquela época não estaria suficientemente madura para absorvê-lo por completo.

O Papa sugeriu também que Galileu escrevesse um livro que abordasse os dois pontos de vista (os que defendiam o heliocentrismo e os que defendiam o geocentrismo) por igual, dando condições para que os argumentos do cientista fossem colocados de maneira que o heliocentrismo pudesse ser levado adiante no meio acadêmico. Em 1930, Galileu levou à Roma o “Dialogo diGalileo Galilei sopra i dueMassimiSistemidel Mondo Tolemaico e Copernicano” para ser analisada pelos censores do Vaticano. Os censores terminaram a avaliação dois anos depois, e o livro foi publicado, finalmente, em 1632.

A saúde de Galileu vinha se deteriorando com o passar dos anos; mesmo assim, foi chamado mais uma vez à Roma, para ser julgado pela Inquisição sobre seus novos argumentos. Depois de um julgamento longo e conturbado, foi condenado a negar publicamente suas ideias e à prisão por tempo indeterminado; seus livros entraram para o Index, sendo publicados apenas nos Países Baixos, onde o protestantismo havia substituído o catolicismo, e a Inquisição não agia na região. Galileu conseguiu comutar sua prisão ao confinamento, primeiro no palácio do embaixador do Grão-duque da Toscana em Roma, depois na casa do arcebispo Piccolomini em Siena e mais tarde na sua própria casa de campo.

Em 1638, completamente cego, publicou na Holanda o livro “Discorsi e DimostrazioniMatematicheIntorno a DueNuoveScienze”, o mais importante de sua vida, onde discute as leis do movimento e a estrutura da matéria. O livro foi muito bem recebido, inclusive por membros da Igreja.

Galileu Galilei morreu em Florença, no dia 8 de janeiro de 1642 e foi enterrado na Basílica de Santa Cruz em Florença, onde também estão Machiavelli e Michelangelo. Em 1846, a Igreja Católica removeu todos os seus livros e os que apoiavam as teorias de Copérnico do Index. Galileu foi absolvido pela Igreja somente em 1983, três séculos depois de sua morte.

Galileu não foi o primeiro a afirmar que a Terra se movia em torno do Sol; desde a idade média vinha-se formulando essa teoria, mas à ela nunca foi dado o devido valor. Galileu não pôde provar cientificamente, mas seus estudos matemáticos chegaram mais longe – até bater de frente com uma Igreja que lutava com a pós Reforma, com o Renascimento e com o surgimento de ideias e ideais em todas as áreas do Renascimento. Galileu não temeu a força da Igreja e foi em frente, apesar de todos os avisos, até ser proibido de divulgar suas ideias – e no final, até de sair à público.

Principais Invenções e Descobertas de Galileu Galilei

Galileu Galilei é considerado um dos fundadores da geometria moderna e física, foi responsável por desenvolver muitas teorias científicas e contribuiu e aperfeiçoou diversas invenções.

Modelo heliocêntrico do Sistema Solar: Uma das “descobertas” mais famosas de Galileu foi a confirmação de que o Sol é o centro do nosso sistema solar, teoria apresentada primeiramente por Nicolau Copérnico. Galileu confirmou a teoria em parte através de sua observação das fases do planeta Vênus, que reflete a luz do sol enquanto orbita a estrela.
O telescópio: Embora o telescópio tenha sido inventado em 1608 pelo holandês Hans Lippershey, Galileu construiu seu próprio em 1609, sem nunca ter visto Lippershey, e ele o aperfeiçoou ao longo do tempo, partindo de 3X de ampliação para cerca de 30X.

Invenções reais de Galileu Galilei

Em 1597, Galileu inventou o compasso geométrico, um instrumento científico com dois braços que pode ser usado ​​para fazer cálculos e medições geométricas.
Galileu Galilei também é creditado com a invenção de um microscópio com duas lentes.

Contribuições de Galileu Galilei para outras invenções

Galileu também contribuiu para invenções de várias outras peças de tecnologia as quais não existem um único inventor reconhecido. Por exemplo, na construção de um termômetro no início da década de 1590, que utilizava a expansão e compressão de ar para levantar e abaixar a água em um tubo.

Frases de Galileu Galilei

Não se pode ensinar nada a um homem; só é possível ajudá-lo a encontrar a coisa dentro de si. (Frases de Galileu Galilei)

Nunca encontrei uma pessoa tão ignorante que não pudesse ter aprendido algo com a sua ignorância. (Frases de Galileu Galilei)

A condição natural dos corpos não é o repouso, mas o movimento. (Frases de Galileu Galilei)

A verdade é filha do tempo e não da autoridade, mas a dúvida é o começo da sabedoria. (Frases de Galileu Galilei)

Check Also

Candido-Portinari

Biografia de Portinari – Vida e Obra

Confira a biografia completa de Portinari, tudo sobre sua vida e a lista completa de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *